sábado, 30 de março de 2013

Chato só tem duas dimensões.


Aí o sujeito diz que isso aqui é uma animação 2D...





E eu digo: -Ah... Sei... Só tem altura e largura... Sei...

Pra quem domina o idioma do bardo e tiver interesse, tem um post do Michael Ruocco no Brew, analisando essa animação clássica do Milt Kahl. Basta clicar na imagem abaixo. Quando eu comecei a estudar animação, 40 anos atrás, não tinha nem vídeo cassete. Mas tinha uns super-8mm com alguns minutos de duração, e dava pra estudar a animação quadro a quadro nos editores de montagem, umas caixinhas de plástico com uma lâmpada e uma lente. Estudei muito essa sequência. 





E pode procurar:
Você não vai encontrar NENHUMA animação CG3D com esse pêso, essa aderência ao solo, essa expressividade.


E se quiser ler um post antigo que escrevi sobre essa bobagem 3d/2d, 
clica aqui: 2D: O Equívoco sem Profundidade


Um dia ainda retomo esse assunto. Tem algumas coisas mais pra considerar, sobre porque é útil tanto pra um animador como para um diretor de animação, seja de desenho animado, seja de imagem de síntese, aprender quando REALMENTE é 2d.




quarta-feira, 20 de março de 2013

#FICANUPA: Mais apoios e uma pedrada



Bom, este post é pra atualizar quem está acompanhando a tentativa de sobreviver do NUPA. Há os que torcem a favor, felizmente em maior número, e os apedrejadores. 



COMO ESTÁ INDO A NEGOCIAÇÃO COM A SECRETARIA MUNICIPAL DE CULTURA DE SAMPA: 
Até o momento em que estou escrevendo este post, neste Equinócio de Outono de 2013, marcando o fim do verão, a novidade é que no fim da semana passada tivemos uma resposta do Gabinete. Aceitaram marcar uma reunião, mas até este momento, sem data ou horário definidos. A informação mais recente é que aguardam a chegada do Secretário, que está na Europa. Esperamos juntos.



Segue nas redes sociais a campanha #FICANUPA, com memes, ilustrações e mini animações. Pede-se principalmente assinaturas na petição, que pode ser acessada neste link:


  • Para assinar é preciso estar cadastrado no Facebook e ter o app Causes desbloqueado (settings/blocking ou configurações/bloqueio).
  • Se assinar, por favor, confira se seu nome apareceu de fato na petição.




Alguns blogs bem relevantes dedicaram posts ao NUPA e ao assunto da petição criada por alunos e artistas. Clique nas imagens se quiser acessá-los:


O cartunista e ilustrador 
Orlando Pedroso 
fez uma entrevista bacana comigo.

Me perguntou coisas que 

nem aqui no Iludente contei.

O blog do Festival Anima Mundi
apresentou o NUPA para seu imenso público
e desencavou um depoimento que dei
em 2010 e que nem sabia que existia.

Mondovazio honrou a camisa do cartoon
e não exitou em chutar na canela e
não ser chapa branca.

The Cab, o blog nacional de concept art,
apoiou mais uma vez as ações do NUPA.


Quem entrou na campanha #FICANUPA e me deixou super feliz foi o gaúcho LANCAST MOTA, criador da ANABEL

Muchas gracias, Lancast! Beijo pra Anabel

Mandou este desenho do Mundo Anabel, ao lado, apoiando.
Muchas gracias, Lancast! 
Beijo pra Anabel! Abraços pro Pai, pra Mãe, pro Ulisses, o Téo e o Delegado Caranguejo.




ALUNOS DO NUPA:
Se vocês procurarem aqui no Iludente os posts de produção dos paulicéia Canta, Ty-Etê! e Bicicletas em São Paulo, vão poder ler o depoimento de vários alunos que passaram pelo NUPA. Mas tem vários outros que ainda não publiquei, e acho que esta é uma boa oportunidade pra postar mais alguns:


EDUARDO RAMUSKI (aluno NUPA): O NUPA é uma oportunidade rara. Adoro o conceito escola-estúdio. Pensava que fosse impossível começar um curso de animação sem pensar em investir uma boa grana. Os e-mails que são trocados, os videos compartilhados são sempre muito inspiradores.
Fez aumentar mais ainda meu interesse pela animação, arriscar e experimentar outros estilos de desenhos, aguçar minha visão artística para cores, movimentos e cenários. E descobrir artistas e escolas de animação que eu não conhecia.
Ilustra do Eduardo Ramuski pro #FICANUPA
O que eu mais gosto são as aulas teóricas e o empenho de todos os envolvidos. 
Caso o NUPA continue, desejo que tenha mais opções de horários e dias da semana.

ANA DE MAURO (aluna NUPA): Já aviso que a forma que vou escrever é um pouco sentimental e pessoal por conta desses tantos anos.
É estranho, mas apesar de não trabalhar como animadora, sinto que ser aluna do NUPA me ensinou muita coisa não somente na área profissional, mas na pessoal também. Lá conheci muita gente talentosa, alguns são amigos bem próximos. Me interesso por essa área, gosto de me manter informada sobre o que acontece e acho que isso floresceu a partir das aulas. Além de aprender muita coisa, cresci junto com o NUPA e me sinto uma pessoa mais feliz comigo mesma.
Por estar mais interessada em animação e ilustração, acabei ganhando vantagem na minha área (edição literária). Me formei com um projeto sobre quadrinhos e agora edito livros que tocam essa área artística. Sei, basicamente, como as coisas funcionam e aprendi a observar melhor o mundo e as pessoas com quem convivo.
Uma coisa que me agrada muito no NUPA são as aulas de conteúdo. Gosto de poder assistir e participar. Também acho interessante como as pessoas, novatas ou não, estão sempre se ajudando, dando feedback aos outros animadores e são empolgados com toda e qualquer evolução. Parece que agora somos quase uma sociedade paralela. Hahahhaa!
Eu não gosto da incerteza, se o NUPA irá sobreviver. Tínhamos sempre produção, procura, os alunos adoravam... A verba poderia não sumir...
Não sei se é possível ter apoio da prefeitura e de outros órgãos, mas isso seria legal para garantir que o NUPA continue funcionando por mais tempo.

Ilustra do Anderson Alves pro #FICANUPA
LEANDRO TADEU (aluno NUPA): Sim, o NUPA acrescentou muita coisa positiva pra mim. Conheci artistas muito bons, conheci trabalhos de artistas que admirava, mas muitos deles nem sabia o nome. No NUPA melhorei bastante meus trabalhos, acabei exercitando bastante meus desenhos quando trabalhei no projeto Expansão, e com os exercícios das aulas com o Gil.

SERGIO ASSIS (aluno NUPA): Bom, o NUPA acrescentou muitas coisas pra mim. Passei a ter uma visão mais ampla do que é animação, de seu usos e processos. E mais do que isso, passei a amar animação como um todo!
Uma das coisas mais legais do NUPA é a metodologia de ensino, por que vai muito além da coisa mecânica das escolas de vídeo-aula. No NUPA
o estudante tem liberdade para descobrir e desenvolver suas habilidades de visualização, criação, expressão e execução. E ao contrário de outros métodos, o estudante aprende a se conhecer como artista. Sem falar nas  aulas de conteúdo que são incríveis, onde se aprende muito em tão pouco tempo.
Uma sugestão pra melhorar poderia ser mais dias na semana! Seria ótimo! Abraço!!

ZIZA (aluna NUPA e artista plástica): Além de ter acesso a todo um novo panorama, que é a animação digital, conheci novos artistas e pude tirar dúvidas pessoalmente com um dos mais requisitados animadores do Brasil. Foi muito positivo para uma evolução, não só na animação.
Contribuiu para a minha formação artística, tive uma evolução no traço, na formação da estrutura do desenho e etc. 
Gostei das aulas de desenho em movimento, modelo vivo, e ter acesso a uma parte da história da animação mundial.

Ilustra do Alex Cói pro #FICANUPA
EMERSON PEREIRA (aluno NUPA): Oi! O NUPA acrescentou primeiro uma noção de de timing e cut out. Como o Éder já disse, as palestras dos animadores brasileiros fazem muita diferença. No meu caso, foi o que me levou ao NUPA. Até mesmo o contato com o ToonBoom e colorir no Photoshop, com o Raff, ocorreram no NUPA. Enfim, foram aulas de muito conteúdo, aprendizado e contato com outros profissionais ou aspirantes a profissionais da área.
Contribuiu para minha formação. Expandiu muito meu olhar sobre animação e principalmente, minha prática. O que mais gostei foi de ver sentido entre a teoria e a prática. Ver o gráfico de frames fazer sentido, junto com os vídeos de MacLaren, depois de já ter visto algumas vezes sem entender nada, foi o que mais me deixou contente. O mesmo se fez nas palestras conversando com os profissionais e com o Éder e o Raff nas oficinas. Ah! Ser de graça também foi tudo de bom!
Se tratando do NUPA, gostei de tudo. Mas se futuramente existir uma segunda unidade mais próxima do centro, vai ser tudo de bom. Abraço!


Vou deixar mais depoimentos de alunos do NUPA pra outros futuros posts, pra não overdosar. 


E tratar agora dos atiradores de pedra. Que são poucos, mas inevitáveis. Como eu já escrevi aqui antes, incentivar o ódio é do livre arbítrio de cada um, mas não é a atitude que vai construir o mundo bom e justo.


Antes de continuar, melhor invocar Mary Andrews Poppins: 


E tem também a questão do limão: 
- Se o mundo lhe dá um limão, faça uma limonada!
O que, como já visto anteriormente neste blog, faz a gente se perguntar;
-papai, por que eles nos odeiam?




O fato é que a dona de um negócio em São Paulo, que se apresenta como produtora de animações, a Sra. Melina Manasseh, apoiada pelo seu marido e sócio Sr. Alê Machado (aka Alê McHaddo), supostamente fez algumas afirmações a respeito do NUPA, através das redes sociais. 
Acho importante poder esclarecer dúvidas e este blog serve, entre outras coisas, pra isso. Então desde já agradeço a Sra. Manasseh pelo questionamento e pela oportunidade. Ainda que pessoalmente acredite que existem formas muito mais elegantes, educadas e respeitosas para motivar esclarecimentos.
Inicialmente Sra. Manasseh entrou na própria petição dos alunos e produziu o seguinte comentário, apoiado pelo Sr. Machado:

Foi contra argumentada por alunos, outros cineastas de animação e por mim. Retirou seu comentário, pelo que acreditei que percebeu que estava enganada, desinformada e eventualmente caluniando a Secretaria Municipal, o São Paulo City Film Commission e os profissionais envolvidos com o NUPA. Mas infelizmente, em seguida, ela postou a mesma coisa novamente em sua própria página no Facebook, desta vez bloqueando meu acesso para que eu não pudesse dar explicações. E um pouco depois, postou novamente o mesmo comentário em uma ilustração da campanha #FICANUPA do artista Alex Cói, desta vez incentivando aos leitores para que checassem com a ABCA (associação civil que reúne animadores brasileiros) a veracidade de suas afirmações:

Então, mais uma vez agradeço a Sra. Manasseh pela oportunidade e esclareço:
  • Não existe no orçamento da Secretaria Municipal de Cultura um volume destinado especificamente à produção de filmes de animação para que possa se afirmar, como ela afirma, que todos os incentivos foram repassados exclusivamente ao NUPA.
  • A verba do NUPA foi recebida através do CCJ Ruth Cardoso, proveniente do FECAP (Fundo Especial de Promoção das Atividades Culturais). Não tem nada a ver com a verba destinada ao cinema administrada pelo ECINE, São Paulo City Film Commission. Portanto a verba de editais não tem nada a ver com a verba destinada ao NUPA.
  • Também não é verdade que todos os editais de curtas de animação foram cancelados em 2010, 2011 e 2012. O excelente ZOOLÓGICO ESPACIAL DO SR. SKRUTINK, da MOL TOONS, foi produzido graças ao edital de 2011/12. E outros curtas também, pelo mesmo edital. Aliás, chama a atenção neste caso a afirmação da Sra. Manasseh, uma vez que ela e seu marido inscreveram-se nesse edital, ficando um de seus projetos na lista de suplência. Além desse, houve um edital de inter-programas. O NUPA lançou quatro editais de roteiro de curta metragem. E o CCJ fomentou mais outros curtas de animação autoral nesse período, totalmente independentes do NUPA, através dos editais de primeiras obras.
  • No mais, todas as afirmações feitas em relação a EDUCAÇÃO X CULTURA, expressividade e desenvolvimento da linguagem, simplesmente traduzem que a Sra. Manasseh não está absolutamente informada sobre o que fez o NUPA nesses três anos. Pelo seu suposto comentário, está na verdade chutando. 
E fiz o que ela sugere e fui checar com a ABCA

Entrei em contato com a presidenta da mesma, a cineasta de animação ROSÁRIO, que me informou que a Sra. Manasseh fala por ela e não pela associação. 
Rosário confirma que sua associação quer que a Prefeitura lance mais editais de curta metragem de animação. Eu também quero e apoio esse pleito. Mas desejo à ABCA, especialmente agora que está em mudança de diretoria, que melhore a forma de interação entre sócios e representantes. Que melhore também a escuta em relação ao poder público e das possíveis razões reais que impedem ou impediram mais editais. Certamente o NUPA não é uma delas, ao contrário. 
Também sei que há vários sócios da ABCA apoiando e assinando a petição e o projeto do NUPA. Acredito que, como eu, os alunos são verdadeiramente gratos a essas pessoas. 
Desejo a Rosário e a nova diretoria sucesso e boas realizações. Especialmente agradeço a rapidez e atenção com que atenderam meu pedido de esclarecimentos.


PS 01: Dei uma olhada no site da associação e constatei que ainda figuro no quadro de sócios, com o número 23. Mesmo tendo me afastado da mesma há, se não me engano, pelo menos 5 ou 6 anos. Já solicitei que meu nome seja retirado da lista anteriormente. E se alguém da diretoria ler isto, por favor, estou reforçando meu pedido.

PS 02: A seção de comentários está aberta a quem quiser fazê-los. Mas peço que os mesmos sejam educados e, mesmo quando críticos, não sejam ofensivos. Caso contrário terei que removê-los, como determina minha responsabilidade pela legislação brasileira. Aliás, agradeço ao advogado voluntário da comunidade da Vila Nova Cachoeirinha pela acolhida e aconselhamento.




quarta-feira, 13 de março de 2013

Fim do NUPA? #FICANUPA



O Secretário de Cultura anterior, Prof. Carlos Augusto Calil, recomendou à nova gestão, logo no início do novo mandato, que se olhassem os filmes e resultados do NUPA, para que o programa fosse mantido. 

Mas até o fim de fevereiro eu não fui procurado pelo novo Secretário, da gestão Haddad, Juca Ferreira. Em função da falta de perspectiva de continuidade, um grupo de alunos do NUPA e mais alguns artistas que conhecem e apoiam o projeto, deram início a um movimento pela continuação do programa, batizado de #FICANUPA.

Na mesma semana do início do movimento, fui procurado pelo novo diretor do CCJ Ruth Cardoso. Tivemos uma longa reunião e expliquei um pouco dos objetivos e estratégias do NUPA. Ele me disse que quer continuar o projeto, mas também sinalizou que não tem verba suficiente.

Expliquei a ele o que explico aqui:

- O NUPA não é somente uma oficina para jovens na Vila Nova Cachoeirinha. É uma ação estratégica para incentivar a produção da arte da animação no Brasil, através de atividades e filmes que ao mesmo tempo aprimorem as relações do cidadão com sua própria comunidade.

O critério principal dessa estratégia é a interpretação para a comunicação de massa dos princípios de Biofilia (E. Owen Wilson) e Memória e Paisagem (S. Schama) que desenvolvi com a bióloga Andrée de Ridder e que recebeu o prêmio Hopes for the Future for a Sustainable World, em 1996, da IUAPPA, por indicação do chairman de ecologia da IAS.

- Fazer filmes é imprescindível para a continuidade do NUPA.

- O CCJ é um parceiro do NUPA nessa ação, que necessita de verba e do envolvimento do Gabinete da Secretaria Municipal de Cultura.

Portanto, a continuidade ou não do NUPA, depende de decisão do novo Secretário. Enviei mensagem ao mesmo no dia 6 de Março, propondo uma reunião. E até o momento em que escrevo este post, não recebi resposta. 

Apoio o movimento #FICANUPA, porque é uma forma de divulgar, valorizar e validar uma ação pública, voltada a gerar benefícios para a comunidade. É uma forma da nova gestão ter alguma garantia de que apoiar o NUPA é bom.



Quem quiser assinar a petição que circula na web, acesse este link: 


  • Para assinar é preciso estar cadastrado no Facebook e ter o app Causes desbloqueado (settings/blocking ou configurações/bloqueio)
  • Se assinar, por favor, confira se seu nome apareceu de fato na petição. 


Algumas pessoas se manifestaram a respeito do NUPA nestes dias. Destaco:

Parabéns pelo trabalho, Céu! Não conhecia ainda os filmes, ficaram fantásticos. E sobre a importância de um núcleo como o NUPA, nem preciso dizer nada... 
Marcos Magalhães,
criador de curtas-metragens de animação, entre os quais MEOW, prêmio Especial do Júri, Cannes,1982. Diretor do Festival Anima Mundi

Fica, NUPA!
Alê Abreu
autor de curtas de animação e do longa GAROTO CÓSMICO, 2007. Em produção o longa CUCA NO JARDIM e a série de TV, VIVI.

O NUPA não pode acabar! É uma iniciativa super bacana em um momento muito especial para a animação no Brasil. O NUPA é uma primeira conquista.
Kiko Mistrorigo
sócio fundador da TV PINGUIM, produtora de animação pioneira no Brasil em séries de animação, entre as quais PEIXONAUTA.


Tive a oportunidade de assistir e ministrar palestras no Núcleo Paulistano de Animação (NUPA), localizado no CCJ Ruth Cardoso em Vila Nova Cachoeirinha, em São Paulo. Atesto o altíssimo nível das aulas expositivas de História da Animação, nas quais o professor Céu D’Ellia não apenas expôs aos alunos a história dos grandes estúdios de animação, mas compôs um painel amplo e coerente do desenvolvimento dessa arte, que merecia estar em uma tese ou publicação. As animações produzidas nas oficinas da NUPA não são simples exercícios didáticos, mas trabalhos de grande qualidade artística e profissional, ao nível das melhores produções mundiais de curta metragem. As palestras com os profissionais da área, realizadas periodicamente aos sábados, propiciam um encontro raro e frutífero entre veteranos e estudantes, aproximando gerações.
O Brasil deu um enorme salto qualitativo na esfera do cinema de animação, na última década. Foi este grande desenvolvimento que tornou possível, hoje, suprir a demanda por desenhos nacionais nos canais de TV dirigidos aos público infantil, que o poder público gerou por meio das leis de obrigatoriedade de conteúdo nacional. Por isso, é urgente a formação e atualização de animadores, artefinalistas, técnicos e demais profissionais relacionados a esta arte de grande alcance popular.
Torço para que São Paulo não “desanime”, e que o maravilhoso trabalho realizado pelo NUPA tenha continuidade na atual gestão da cultura municipal, que certamente repercute em todo o estado e no país.
Spacca
chargista no jornal FOLHA DE SÃO PAULO (1986-1995), ilustrador e autor de quadrinhos, entre os quais SANTÔ (2006), D.JOÃO CARIOCA (2008) e JUBIABÁ (2010)

Belíssimo projeto com excelentes resultados! Tem que continuar
Ari Nicolosi
designer e criador de animação. Entre seus trabalhos a série de animação, em produção pela CINEMA ANIMADORES, ZICA E OS CAMALEÕES.

Essa iniciativa precisa ser multiplicada nos estados brasileiros...e não extinta! Fica NUPA!
Quiá Rodrigues,
diretor de cinema de animação e artista criador, construtor e manipulador de bonecos, com participação na TV COLOSSO, ANIMANIA, entre outros.

É impressionante… enquanto outros países como o Canadá só aumentam os incentivos para o desenvolvimento de receitas baseadas em conteúdo criativo, o Brasil parece andar para trás. Animação e tudo ligado a essa arte é uma unanimidade no quesito "profissão do futuro".
Tive a sorte de visitar o NUPA e ver o trabalho sério e dedicado feito lá. Uma oportunidade para começar nesse universo da animação para quem não tem tanta possibilidade financeira. 
Marcelo Ricardo Ortiz
cineasta de animação e diretor da MELIES, Escola de Cinema, 3D e Animação www.melies.com.br

Apoio o NUPA!
Catani,
arquiteto e ilustrador. Autor, em parceria com Jean e Jeanine Guion, da série francesa RALETTE ET CES AMIS.

Projetos assim não podem acabar por uma simples decisão politica de desarticular o que foi feito por governos anteriores! O projeto NUPA é excelente, deve continuar!
Cecília Esteves,
arquiteta e ilustradora, formada em animação na GOBELINS, autora de livros infantis e de projeto de ambientação hospitalar para crianças.

Animação para a População!
Mário Manga,
maestro, músico e compositor, atualmente integrante do grupo BLACK TIE.

Sou grato por surgir a oportunidade de participar no NUPA - Núcleo Paulistano de Animação - e poder ver de perto o nascimento de uma iniciativa inédita e repleta de êxito. Inédita por mixar formação com produção, aproximando alunos de profissionais conceituados no mercado de animação em formatos de encontros e workshops carregados de muito conteúdo. O êxito poderia ser medido pelo alcance de views alcançado pelos curtas produzidos, mas ele se mostra muito maior no carinho dos participantes e no espaço que eles conseguiram abrir no competitivo mercado de trabalho.
E muito mais ainda pode vir para toda a população da cidade: "ficanupa"!

Gil Caserta,
um dos mais experimentados e versáteis profissionais em animação digital no Brasil. www.braziltoonz.com.br / www.brtoonz.com




segunda-feira, 11 de março de 2013

Foi: Ahh!!



A tecnologia é boa para os consumidores, até que os autores sejam extintos

(Scott Turow)



Zú Kinkajú: Episódio III, Ondas Mentais em Céu Vermelho