domingo, 9 de agosto de 2009

Agora o silêncio















Imagem: 2001, A Space Odissey de Stanley Kubrick

Há um homem que caminha pela avenida, que sobe e desce mil vezes a mesma rua e que rumina e rumina mil pensamentos, os quais possivelmente, não tem a menor importância e nem irão resolver a dor e o desejo...
Porém onde está o que não passa? O Habitante desta morada?
Nesta avenida se produz uma asfixia.... Neste turbilhão o homem precisa respirar.... E este homem para e olha... e então surge alguém de dentro deste homem, que reconhece: Há um sopro que refresca tudo! Algo como uma clarabóia se abre... um único instante habitado!
Mas logo isto passa e a mecânica começa de novo.
Porém se este homem se dá conta disso, percebe este frescor, este claridade, este ar que circula, este outro ritmo, este outro som, este não sei que... Sente-se preenchido por esta outra realidade e fica atento e quer que esta sensação retorne outras vezes... A partir daí a asfixia se torna mais ativa e ele tem necessidade desta “outra coisa”.
Começamos a entrar no caminho Ensolarado.
Agora os vagos terrenos, agora o silêncio...
Um muro negro!!!
E detrás, o céu.

Trecho do livro
A Genesis do Super Homem,
de Sat Prem

Satprem, nascido em Paris em 1923.
Comprometido com a resistência, foi detido pela Gestapo e deportado para campos de concentração Buchenwald e Mauthausen.
Quando a guerra terminou, ele conheceu Sri Aurobindo e a Mãe na Índia.
Viajou através do mundo: Guiana Francesa, a Floresta Amazônica, Brasil, África, Índia
Tornou-se um dos principais depositários e testemunhas do trabalho da Mãe e continuador do trabalho de Aurobindo.
Faleceu em 2007.


Sem comentários:

Enviar um comentário