Partida do Deserto B, objetivo: Edena. Próxima Escala: Pharagonescia



O desenhista e roteirista de quadrinhos francês, Jean Giraud, morreu neste sábado pela manhã aos 73 anos, após longa convalescença. Conhecido pelos pseudônimos de Moebius e Gir, notadamente pela criação da séries Blueberry, Arzach, Incal, Inside Moebius, Garagem Hermética, Monde d'Edena e outras. Além de diversas imagens que se tornaram ícones de um tempo adimensional e da fundação da revista Metal Hurlant e dos Humanoides Associes, que marcaram a criação fantástica-espacial em todo mundo a partir dos anos 70. Influenciou fortemente toda a criação visual do cinema de Space-Opera, tendo trabalhado diretamente na concepção visual de Alien, Tron, Abismo e Quinto Elemento, entre outros.


40 days dans le Désert B, pranche 33, 1999


Foi consagrado Melhor Artista em Artes Gráficas por Jack Lang, então ministro francês da Cultura, recebendo, em 1985, a Ordem das Artes e das Letras pelo então presidente da França, François Mitterrand.


Em um caso raro de artista em contínuo processo de renovação e auto-invenção, nos últimos anos Giraud ainda produzia obras inovadoras e de tirar o fôlego.


Tive a oportunidade de conhecê-lo pessoalmente em um encontro promovido no Rio de Janeiro pela Livraria Francesa e o Consulado da França. E depois disso  chegamos a nos reencontrar em Paris para algumas conversas e saladas de folhas cruas. Jean era uma pessoa incomum e sua espiritualidade transbordante conflitavam com o racionalismo cartesiano que o cercava. 


Acima de tudo, o melhor desenhista que já existiu, capaz de sustentar uma linha em uma folha de papel com um poder além de qualquer coisa que eu jamais tenha visto. Um GIGANTE. Um GÊNIO. Um GIR.



Comentários

  1. muito legal d'Elia também sou fã desse visionário poeta/profeta desde os 70's. Tanto pela qualidade do desenho quanto pela abordagem mais transcendente de suas histórias - a indicar e mapear outros mundos possíveis e universos dentro de nossa consciência de humanos. A série do Incal é maravilhosa, um verdadeiro tratado de ciência hermética ou alquimia. O filme do Luc Besson é bom mas nos quadrinhos ele é ainda melhor, vai mais alto. Guardo até hoje a coleção completa do Incal. Gostei do artigo. abraço, Romulo

    ResponderEliminar
  2. Escrevi meio sem pensar muito, mais pra registrar o momento que me pegou de surpresa. Estou no meio de várias produções com deadline sobre a cabeça, mas não podia deixar de escrever nessa data.
    O blog Iludente inicialmente era pra tratar com mais profundidade da questão do ilusório e da percepção. Mas acabou virando um blog pra divulgar as atividades do NUPA, suprir estudantes de animação com informações básicas e registrar pra mim mesmo a essência de alguns conceitos da minha pesquisa pessoal.
    A imagem do Moebius que publiquei neste post estava sendo guardada para uma série de post sobre as DEZ influências (mais UMA) que considero as mais marcantes no meu estilo gráfico. Mas o fato precedeu a intenção. E interessantemente a imagem tem tudo a ver com o momento.
    Adieu le Giant! Salut a Edena.

    ResponderEliminar
  3. http://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=2L0YgdIpXas#!

    ResponderEliminar
  4. Obrigado, anônimo ominônA! Seja lá quem for você.
    Conhecia a exposição mas não esse vídeo. Muito bom. Muito interessante a colocação de Miyazaki de que nossa técnica e visão do mundo estão associadas. E que a tradição européia dessa visão é ver o mundo sob luz e dimensões.
    Se considero o grafismo indígena, que também me interessa, percebo que ele vê o mundo sob padrões e vibração.

    ResponderEliminar
  5. muito bom o documentário para ficar pedido em comentários de um post.

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Top 10 + Populares